Eu nasci em Salvador-BA-Brasil em 1979, num núcleo familiar sem nenhum tipo de direcionamento religioso ou espiritual. Mas sempre tive uma curiosidade genuína sobre temas relacionados com a espiritualidade e a nossa capacidade de cura. Tive a sorte de ter duas avós pertencentes a religiões diferentes e graças à minha curiosidade e à disponibilidade das duas, antes dos 12 anos já conhecia a filosofia oriental das religiões japonesas e já tinha lido duas vezes o Novo Testamento. Me aproximei e estudei, até mesmo chegando a praticar diversas religiões como o Budismo, Igreja Evangélica, Catolicismo, Espiritismo, Igreja Messiânica e Hare Krishna, numa busca incessante pela consciência espiritual.

Meus pais, minhas duas irmãs mais velhas e eu formávamos um grupo unido e feliz. Quando tinha 15 anos a minha mãe faleceu de maneira repentina, por um câncer intestinal. Perdi aquele grupo estável e equilibrado do qual eu fazia parte desde o meu primeiro dia de vida e a partir daí comecei a buscar grupos aos quais pertencer. Em religiões, grupos de amigos e principalmente famílias de namorados. Eu me adaptava e me moldava aos grupos para me sentir parte deles. Sempre digo que foi proteção divina não ter me encontrado com uma seita, porque sería uma presa fácil.

Depois de passar por uma crise geral na minha vida (divórcio com dois filhos pequenos, crise de identidade profissional, dificuldades financeiras e problemas de saúde) estando a 10 mil quilômetros de distância da minha família e amigos de infância, comecei a olhar pra dentro. Conheci o Reiki através de uma amiga, e a partir daí comecei a ter consciência de que Deus esteve sempre dentro de mim enquanto eu o estava procurando desesperadamente fora. A partir daí começou o meu caminho de autoconhecimento, crescimento pessoal e prática da espiritualidade real. E com base na minha experiência comecei a acompanhar outras pessoas, principalmente mulheres que estavam passando por um precesso de crescimento ou reinvenção. Comecei a estudar e a me especializar nos temas que considero mais importantes para que tenhamos uma vida plena e colocando esses estudos em prática acabei mudando a minha vida em todos os níveis e áreas para muito melhor.

Hoje trabalho com o que eu amo, tenho dois filhos maravilhosos com os quais tenho uma relação saudável, feliz e plena. Mudei a minha relação com o meu corpo físico, através da alimentação e prática de exercícios e meditação. Depois de anos num relacionamento infeliz, me separei e hoje tenho uma relação de amizade e cumplicidade com o pai dos meus filhos. Saí do trabalho que me deprimia e comecei a estudar os assuntos que sempre me deram prazer. Mudei completamente a maneira de me comunicar comigo mesma (mais amor, autoestima e autoaceitação) e com os outros (mais inteligência emocional e inteligência social). Hoje só fazem parte da minha vida as pessoas que eu permito que estejam, por estarmos nos melhorando como pessoas graças ao nosso relacionamento. E principalmente aprendi a colocar limites e a dizer não.